ANÁLISE DO USO E OCUPAÇÃO DA TERRA, FRAGMENTAÇÃO FLORESTAL E ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICIPIO DE CERRO AZUL – PR

Bruna Cardoso Mendes, Roberto Arnaldo Trancoso Gomes, Eraldo Aparecido Trondoli Matricardi, Marcus Fábio Ribeiro Farias, Osmar Abílio de Carvalho Júnior, Renato Fontes Guimarães

Resumo


O presente trabalho objetiva realizar o mapeamento do uso e cobertura da Terra, análise da fragmentação da paisagem, e avaliação do estado de conservação da área de preservação permanente do município de Cerro Azul, Paraná. Este município possui uma área total de 134.105 ha e constitui em um dos municípios prioritários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF. A elaboração do mapa de uso e cobertura da terra foi realizada por interpretação visual das imagens do sensor ALOS/PRISM considerando as seguintes classes: área antropizada, área urbana, áreas de sede agrícola, cultivos, massa d’água, reflorestamento e vegetação natural. As áreas de preservação permanentes foram mapeadas conforme o código florestal (lei 6771/65) criado em 1965 para garantir a segurança do uso e ocupação da terra. Esta lei determinava os limites da atuação da ocupação das terras considerando os recursos florestais. Na análise da fragmentação foram extraídas as seguintes métricas: (a) área, (b) densidade, tamanho e variabilidade, (c) borda, e (d) forma. Os resultados demonstram uma alta porcentagem de áreas de preservação permanente com uso indevido. A conservação das áreas de preservação permanente provoca uma intensa mudança nos índices de fragmentação, aumentando a área dos fragmentos e conectividade entre eles, como também, diminuindo o número de fragmentos.

Palavras-chave


uso e ocupação da terra, fragmentos florestais, análise temporal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Espaço & Geografia está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at www.lsie.unb.br. ISSN 1516-9375