UMA EXPERIÊNCIA DE PATRIMONIALIZAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E A PARTICIPAÇÃO SOCIAL: O CASO DO INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL EM IGUAPE (SP)

Danilo Celso Pereira

Resumo


 Iguape (SP) teve sua fundação no século XVI ligada ao processo de ocupação do território do Brasil colônia, próxima a Linha de Tordesilhas, e economicamente associado às primeiras explorações auríferas, anterior às consagradas pelas políticas de preservação do patrimônio cultural em Minas Gerais. Neste sentido, o objetivo deste texto é discutir o processo de patrimonialização dessa cidade-patrimônio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, destacando o novo contexto das políticas de preservação no século XXI em que está inserida e a metodologia de inventário adotado, preconizando ações de educação patrimonial e a participação social. 


Palavras-chave


Patrimônio cultural, Políticas de preservação, Educação Patrimonial, Participação social, Iguape (SP), Iphan.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Espaço & Geografia está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at www.lsie.unb.br. ISSN 1516-9375