USO INTEGRADO DO MODELO SHALSTAB E ANÁLISE MULTICRITÉRIO PARA MAPEAMENTO DE ÁREAS SUSCEPTÍVEIS AOS ESCORREGAMENTOS DE TERRA NA BACIA DO RIBEIRÃO SÃO BARTOLOMEU, VIÇOSA - MG / Integrated use of SHALSTAB model and Multi Criteria Evaluation for mapping landslide susceptibility areas in São Bartolomeu Stream basin, Viçosa - MG

Darlan Miranda Nunes, Clívia Dias Coelho, Aline Bezerra de Sousa, Maria Lúcia Calijuri, Afonso de Paula dos Santos

Resumo


O acelerado processo de urbanização aliado à carência de políticas públicas direcionadas a um planejamento eficiente tem propiciado a ocupação de áreas geotecnicamente instáveis, contribuindo para a ocorrência de desastres naturais, tais como os escorregamentos de terra, que afetam direta ou indiretamente a população situada no entorno das áreas de risco. O presente trabalho tem como objetivo utilizar o potencial dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para o mapeamento de áreas susceptíveis aos escorregamentos de terra utilizando o modelo determinístico Shallow Slope Stability Model (SHALSTAB) integrado com a Análise Multicritério (MCE) na Bacia do Ribeirão São Bartolomeu, localizada no município de Viçosa, estado de Minas Gerais, Brasil. A metodologia adotada no desenvolvimento deste trabalho, combina os resultados obtidos aplicando o modelo SHALSTAB para cada tipo de solo predominante na bacia (Latossolo, Cambissolo e Argissolo) como um dos fatores condicionantes aos escorregamentos, ponderado juntamente com os fatores uso e ocupação da terra, distância de vias e forma de vertentes na MCE. Utilizando-se a técnica de comparação pelos pares AHP, gerou-se um conjunto de pesos relativos para cada um dos fatores, posteriormente agregados nos procedimentos de Combinação Linear Ponderada (WLC) e Média Ponderada Ordenada (OWA). Foram realizados três cenários OWA com baixo, médio e alto risco, todos com alta compensação. Tomando pontos de ocorrência de escorregamentos notificados a Defesa Civil do município de Viçosa, verificou-se que o melhor cenário foi aquele de baixo risco e alta compensação (risco: 0,63 e compensação: 80%), pois maiores quantidades destes pontos de ocorrência coincidiram com as áreas de alta e muito alta instabilidade, obtidas integrando o modelo SHALSTAB e MCE, diferentemente da aplicação do modelo SHALSTAB individual. Observou-se também que as classes de média, alta e muito alta instabilidade se localizam próximas ou em áreas urbanas e nos solos do tipo Latossolo. Com os resultados obtidos neste trabalho, foi possível demonstrar que a integração entre o modelo SHALSTAB e MCE possibilita mapear áreas susceptíveis aos escorregamentos de terra de maneira mais coerente com a realidade, pois permite levar em consideração fatores naturais em conjunto com as ações antrópicas, ambos diretamente relacionadas à ocorrência dos escorregamentos.

Texto completo:

PDF


Revista da Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto - SBC | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados