INFLUÊNCIA DA ESTIMATIVA DO GRADIENTE HORIZONTAL TROPOSFÉRICO NA QUALIDADE DO POSICIONAMENTO GNSS DE ALTA ACURÁCIA / Infl uence of Horizontal Tropospheric Gradient Estimate on the Quality of High Accuracy GNSS Positioning

Paulo Sérgio de Oliveira Junior, João Francisco Galera Monico, Luiz Fernando Sapucci

Resumo


Para fins de posicionamento pelo GNSS (Global Navigation Satellite Systems), a atmosfera pode ser dividida em duas camadas principais; a troposfera e a ionosfera. Tais camadas provocam diversos efeitos e interagem de formas distintas com os sinais GNSS. A troposfera se estende da superfície terrestre até ~50 km de altitude. Um de seus principais efeitos é o atraso troposférico. No processamento de dados GNSS, estima-se o ZTD (Zenith Tropospheric Delay), o qual é subdividido em duas componentes, hidrostática e úmida. Funções de mapeamento são empregadas para mapear o atraso troposférico da direção satélite-receptor para a zenital. No que concerne à assimetria azimutal existe a possibilidade de estimar os chamados gradientes horizontal troposféricos. Nesse trabalho objetiva-se investigar as vantagens da inserção desse parâmetro no posicionamento GNSS de alta acurácia no modo relativo para linhas de base longa. Considera-se diferentes condições atmosféricas existentes no Brasil em períodos de alta e baixa umidade do ar. Pôde-se constatar que a adoção de gradientes horizontais permite alcançar melhorias de até 3,6 mm na repetibilidade da posição 3D, o que é relevante para aplicações como o monitoramento de deslocamentos de estruturas, onde a acurácia necessária é da ordem de poucos milímetros.

Texto completo:

PDF


Revista da Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto - SBC | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados