ANTROPOGÊNESE E MORFOGÊNESE SOB A AÇÃO DE EVENTOS CLIMÁTICOS DE ALTA MAGNITUDE NO SEMIÁRIDO PERNAMBUCANO: O CASO DA BACIA DO RIACHO SALGADO

Antonio Carlos de Barros Corrêa

Resumo


Uma proposta de análise em escala de detalhe da morfologia de um sistema de drenagem intermitente e seus depósitos como resposta a um evento climático de alta magnitude, modulado pelas formas de uso da terra, foi aplicada a uma bacia semiárida do Nordeste do Brasil. A pesquisa teve por base o levantamento detalhado em campo das feições fluviais, associada ao tratamento digital dos dados espaciais e climáticos em gabinete, que permitiram a compartimentação do canal em três setores: confinado, semiconfinado e não confinado, os quais revelaram uma conexão estreita entre a relação do plaino aluvial e suas margens confinantes com o tipo de processo funcional desencadeado a partir do último input climático de máxima energia, catalisado pelos padrões vigentes de uso da terra. Os resultados apontaram que na escala da bacia estudada todos os barramentos fluviais foram rompidos e novos patamares de equilíbrio entre formas erosivas e deposicionais encontram-se em ajuste, passados mais de quatro anos do evento desencadeador de magnitude regional. A análise climática permitiu constatar que a circunscrição espacial dos aportes climáticos, no contexto semiárido estudado, não permite definir modelos robustos para a previsão de cenários sinóticos em outros contextos fluviais acometidos pelo mesmo tipo de perturbação atmosférica, ainda que as respostas morfológicas encontradas devam ser bastante semelhantes.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v12i0.256

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados