Relações entre Níveis (Paleo) Topográficos e Domínios Morfotectônicos na Região Sul de Minas Gerais: Contribuições aos Estudos de Superfícies Erosivas no Sudeste Brasileiro

Antônio Pereira Magalhães Júnior, Elaine de Sousa Trindade

Resumo


Apesar das controvérsias quanto à gênese das superfícies de aplainamento, a teoria da pediplanação ganhou atenção no Brasil a partir da síntese clássica de King sobre a região oriental do país, publicada em 1956. Entretanto, os critérios de identificação das superfícies de aplainamento utilizados por King não foram consensualmente aceitos, motivando o emprego de novas técnicas quantitativas e a reavaliação da sua proposta para algumas regiões do Estado de Minas Gerais. Nos últimos anos, o estudo das superfícies de aplainamento tornou-se de grande interesse para a análise da evolução geomorfológica em áreas de reconhecida instabilidade tectônica, áreas sobre as quais surgiram os maiores questionamentos em relação ao emprego de parâmetros altimétricos na definição de superfícies de erosão. Nesta perspectiva, o presente trabalho visou pesquisar a temática das superfícies de aplainamento na “relativamente instável” região sul de Minas Gerais, por meio do estudo das possíveis relações entre níveis topográficos e blocos de comportamento morfotectônico diferencial no Cenozóico. Os resultados podem contribuir para a compreensão da evolução geomorfológica regional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v5i1.26

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados