CÁLCULO DA ÁREA DO ESPELHO D’ÁGUA, NO CURSO INFERIOR DO RIO TIBAGI, ATRAVÉS DE OPERAÇÕES ARITMÉTICAS DE BANDAS: SUBSÍDIO AO ENTENDIMENTO DAS CAUSAS RESPONSÁVEIS PELA OCORRÊNCIA DE INUNDAÇÃO, NA CIDADE DE JATAIZINHO – PR.

Rodrigo Vitor Barbosa Sousa, Mirian Vizintim Fernandes Barros, Osvaldo Coelho Pereira Neto

Resumo


O objetivo desse trabalho foi calcular a área do espelho d’água, no curso inferior do rio Tibagi – PR, em períodos distintos: anos atípicos positivos, cujos débitos se encontravam acima da média, e anos próximos à normalidade. A área do espelho d’água, calculada através de operações aritméticas de bandas, especificamente através da técnica denominada subtração do pixel escuro, indicou uma área de 123,1 Km2 em 20/02/2005 e 102 Km2 em 09/10/2007. A diferença de área, igual a 21,1 Km2, foi considerada pequena devido à vazão do rio Paranapanema, em seu médio curso, divisa entre os Estados de Paraná e São Paulo, ser regularizada pela hidrelétrica de Capivara. Ressalta-se que, a construção da hidrelétrica de Capivara alterou a vazão, na foz do rio Tibagi, transformando-a em área de remanso. A análise das imagens orbitais não indicou ocorrência de remanso, nas adjacências da cidade de Jataizinho – PR.


Palavras-chave


hidrologia; rio Tibagi; sensoriamento remoto; geoprocessamento.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v13i4.320

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados