RECONSTITUIÇÃO GEOMORFOLÓGICA DE PLANÍCIES FLUVIAIS URBANIZADAS: O CASO DO RIO PINHEIROS, SÃO PAULO-SP

Rodolfo Alves da Luz, Cleide Rodrigues

Resumo


Este estudo trata da proposição e aplicação de técnicas para reconhecimento da  geomorfologia original de planícies fluviais urbanizadas utilizando-se de procedimentos tradicionais e da abordagem histórica em geomorfologia. Tem como foco o reconhecimento de uma paleogeografia e de uma paleogeomorfologia de um trecho do rio Pinheiros, na cidade de São Paulo em seu estágio pré-urbano holocênico com algumas incursões ao Pleistoceno Superior. Dentre os principais resultados destaca-se a produção da carta geomorfológica de detalhe na escala 1:20.000 e a análise de sua aplicação em demandas da gestão territorial urbana. Foram utilizados princípios da cartografia geomorfológica de detalhe, da antropogeomorfologia e da abordagem histórica em geomorfologia (Nir 1983, Goudie, 1997, Rodrigues 2001, Gurnell et al. 2003, e Trimble 2008), realizando-se pesquisa arquivística, fotointerpretação, trabalho de campo, análise de mapas antigos e de dados pedo-estratigráficos disponíveis em recentes relatórios de engenharia do Metrô de S. Paulo. A articulação destes dados em representações espaciais bi-dimensionais permitiu a reconstituição de uma sequência de eventos geomorfológicos atuantes no sistema fluvial no Holoceno e no Pleistoceno Superior. Foi identificada significativa influência da estrutura geológica na evolução holocênica da planície. Por outro lado, identificou-se paleocanal preenchido por depósitos da Formação Itaquaquecetuba que evidenciaram a existência de fluxos fluviais de maior potência comparativamente ao dos canais meândricos holocênicos. Demonstrou-se também a relevância deste conhecimento paleogeográfico e geomorfológico para a gestão territorial urbana e análise de riscos geotécnicos.


Palavras-chave


Geomorfologia Fluvial; Cartografia Geomorfológica; Geomorfologia de São Paulo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v14i1.354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados