ASPECTOS MORFOESTRUTURAIS DO RELEVO NA REGIÃO NORTE DA CIDADE DE MANAUS E SUAS INFLUÊNCIAS NA DINÂMICA DO AQUÍFERO ALTER DO CHÃO

João Silva Carvalho, Javier Tomasella

Resumo


A área de estudo está localizada a norte da cidade de Manaus, entre as coordenadas de 2º00’ e 3º00’ de latitude sul e 59º30’ e 60º30’ de longitude oeste, envolvendo porções dos municípios de Manaus, Rio Preto da Eva e Presidente Figueiredo. Essa porção territorial exibe predominantemente sedimentos da Formação Alter do Chão, de idade neocretácea, representada por materias clásticos e pelíticos que foram depositados em depressões tectônicas originadas durante a abertura do Oceano Atlântico. Atualmente esses terrenos são afetados por diversos lineamentos estruturais, com direções preferenciais NE-SW a NW-SE, a exemplo dos lineamentos Rio Preto da Eva e Rio Urubu, que condicionam as trajetórias dos respectivos rios. Esta unidade estratigráfica hospeda o sistema aquífero Alter do Chão, que é o mais importante manancial de águas subterrâneas dessa região. O trabalho consistiu de análises sobre produtos temáticos (mapas de drenagem, declividade e curvas de nível) gerados por processamento de imagens SRTM, por meio dos softwares ArcGis e Global Mapper, com apoio de referências geológicas, hidrogeológicas e geodésicas obtidas nos banco de dados da CPRM e IBGE, respectivamente. A morfologia do relevo, fortemente dissecado pela drenagem, mostra-se rigorosamente condicionada às direções dos alinhamentos estruturais, onde também se destacam outras feições importantes, como o escalonamento do relevo em níveis diferenciados, a declividade da superfície (com aclive para norte, no sentido da borda da bacia), e a assimetria das redes de drenagem, que são reflexos dos processos de basculamentos de blocos, identificadas pelo parâmetro Fator de Assimetria. As porções mais impactadas dessa região correspondem às áreas de expansão da fronteira urbana norte da cidade de Manaus, porções urbanas e periurbanas do município de Rio Preto da Eva, áreas de ocupações (comunidades rurais), áreas de transformação de floresta em pastagens e cultivos, áreas submetidas a atividades de mineração, assim como as faixas de ocupação marginais das rodovias e drenagens principais. A declividade topográfica e a geometria do pacote sedimentar da Formação Alter do Chão, que é mais espesso (230 m) no limite norte da cidade de Manaus e se adelgaça no sentido da borda norte da bacia, favorece o o fluxo migratório das águas subterrâneas, que tem sentido principal para SW, sendo influenciado pela estruturação geral. O alto grau de preservação da floresta, associado ao baixo grau de uso do solo, somado ainda ao fato de que grande parte da área está compreendida em área de proteção ambiental, favorece o processo de infiltração da água no solo e, por conseqüência, à recarga do aquífero Alter do Chão.

Palavras-chave


Feições geomorfológicas, Alinhamentos tectônicos, Fluxo subterrâneo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v14i3.430

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados