Avaliação Qualitativa do Potencial de Erosão Laminar em Grandes Áreas por Meio da EUPS Equação Universal de Perdas de Solos Utilizando Novas Metodologias em SIG para os Cálculos dos seus Fatores na Região do Alto Parnaíba PI-MA

Miguel Farinasso, Osmar Abílio de Carvalho Júnior, Renato Fontes Guimarães, Roberto Arnaldo Trancoso Gomes, Verônica Moreira Ramos

Resumo


A Equação Universal de Perdas de Solos (EUPS) de Wischmeier e Smith (1978), inicialmente desenvolvida para estimativa quantitativa de perdas de solos para pequenas áreas, hoje é amplamente utilizada para avaliação qualitativa de predição de perdas de solos por erosão laminar em grandes áreas, com o objetivo de se avaliar e indentificar áreas susceptíveis  á erosão, de forma rápida e econômica, visando o planejamento ambiental. Neste trabalho foi aplicada a EUPS para indentificar qualitativamente  áreas susceptíveis a erosão laminar na região do Alto Parnaíba (PI-MA). Em termos específicos foram utilizadas diferentes metodologias para os cálculos dos fatores R (Krigeagem e IDW) e LS(mapa de área de contribuição pelos métodos D8 e D"), com a utilização de SIG, visando identificar as que melhor se aplicam a grandes áreas, e somado a estes dois fatores, foi aplicado um fator de correção em áreas com grades com resolução espacial superiores á 100 m. Assim, mapas temáticos existentes, juntamente com informações de solos, uso da terra, relevo e clima, foram utilizados para obtenção de mapas identificando áreas susceptíveis á erosão atual e potencial nesta região. Chegou-se á conclusão que a metodologia que melhor se aplica ao cálculo do fator R (erosividade) foi a que utiliza Krigeagem Ordinária, e para o fator LS, a metodologia que utiliza mapa de área de contribuição obtida pelo método D". As áreas mais críticas, com relação a perdas de solos estão associadas a elevadas declividades, NEOSSOLOS e uso e manejo inadequados. A metodologia se mostrou válida, uma vez que os pontos onde se encontram os maiores índices de perdas de solo foram comparados a pontos observados in loco, mostrando boa correlação com as estimativas obtidas.

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v7i2.80

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados