Identificação de Unidades de Paisagem e sua Implicação para o Ecoturismo no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Rio De Janeiro.

Sandro Nunes de Oliveira, Osmar Abílio de Carvalho Júnior, Éder de Souza Martins, Telma Mendes da Silva, Roberto Arnaldo Trancoso Gomes, Renato Fontes Guimarães

Resumo


A análise da heterogeneidade da paisagem é fundamental para o planejamento do ecoturismo porque estima uma relação ótima entre a conservação e as alternativas turísticas. A metodologia de paisagem possibilita descrever não só a beleza cênica, porém também o grau de estabilidade do sistema ecológico. A pesquisa da paisagem para o ecoturismo integra os diferentes componentes naturais (relevo, condições climáticas, solo, cobertura da vegetação, etc.) e avalia suas inter-relações com as características do destino turístico. A geomorfologia é sempre considerada um dos fatores mais importantes que controla a heterogeneidade espacial em áreas com alta variação topográfica. Nesse caso, os parâmetros do relevo indicam a distribuição da temperatura e da umidade, exposição à direção de vento, vegetação, habitat entre outros. A área de estudo é o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, um dos mais visitados no Brasil, com um vasto número de opções para visitantes de ecoturismo, tais como diversidade ecológica, significado histórico e oportunidades de recreação. O presente artigo objetiva definir unidades de paisagens do  parque nacional da Serra dos Órgãos a partir de sensoriamento remoto e atributos de terreno. Além disso, o artigo analisa a distribuição das atrações turísticas em relação às unidades de paisagem. Assim o procedimento de análise considera os tipos de paisagem, estruturas espaciais e limitações. A metodologia pode ser dividida nos seguintes passos: (a) processamento digital das imagens de atributos de terreno a partir do modelo digital de terreno, (b) interpretação de imagens de sensoriamento remoto, e (c) delimitação e análise das atrações de ecoturismo. A integração dos dados possibilitou identificar unidades em dois diferentes níveis hierárquicos de escala. Na escala de geossistema, sete classes foram identificadas apresentando diferentes dinâmicas e vulnerabilidades ambientais. O método da análise de paisagem para o ecoturismo permitiu uma perspectiva holística como também uma avaliação do potencial de recreação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20502/rbg.v8i1.88

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Geomorfogia ­ RBG (Rev. Bras. Geomorf. ­ Online ­ ISSN: 2236­5664) | Copyright © 2010 | Todos os direitos reservados